Praia do Bonete

Areia branca e mar límpido; orla com arvore chapeus-de-sol; ventos fortes; ondas imensas, boas para surfe, no Canto Bravo. O RlBEIRÃO DO BONETE deságua a esquerda da praia. Vila de pescadores, a maior comunidade caiçara da Ilha, onde e possível hospedar-se. Acesso via marítima ou pela TRILHA DO BONETE, 13 km a partir da Ponta de Sepituba, com diversas cachoeiras. A trilha para o Bonete começa na ponta da praia de Sepituba, ao sul da ilha. Exige bom preparo físico, mas não requer dotes de atleta profissional --basta que você não seja um completo sedentário para poder enfrentar o sobe-e-desce do caminho. As cachoeiras da Laje, com três piscinas e escorregador natural, e a do Areado ajudam a refrescar e reavivar os ânimos. O percurso pode ser feito sem o acompanhamento de um guia, embora um profissional seja altamente recomendado para quem nunca fez essa trilha. Ao chegar ao Bonete, você conhecerá gente que vive, e vive bem, sem as modernidades da cidade grande. O local abriga a maior colônia isolada de pecadores da ilha, que já se acostumou ao movimento das duas pousadas --uma chique e muito charmosa, outra simples, mas também simpática-- e do camping. Não há luz elétrica, mas o banho quente é garantido pelo aquecimento a gás. Esqueça também o telefone. Caso resolva pernoitar por lá (ouse, vale a pena), você será uma dessas pessoas. Acordará, fará seu desjejum e, com quatro ou cinco preguiçosos passos, chegará à praia. Terá, para trás, a mata atlântica. Para os lados e sob os pés, areia e pedras. Na sua frente, um Atlântico que não acaba mais, com suas ondas que atraem os surfistas conhecedores da rusticidade local e das boas coisas da vida. Andando até a ponta esquerda da praia, há uma bela trilha que leva à praia de Enchovas. Continuando na mesma rota, há a praia de Indaiaúba. Na mesma direção norte, mas muitos quilômetros à frente, chega-se a Castelhanos, por uma trilha que deve ser feita na companhia de quem já a conhece --ela está inclusa em alguns roteiros de agências de ecoturismo. Se a intenção for apenas praticar a preguiça no Bonete, tudo bem. Depois de quatro horas de trilha, os sentimentos de vitória e recompensa já dão tranqüilidade suficiente para ficar à toa e esquecer o mundo. A volta pode ser feita de barco --os pescadores cobram cerca de R$ 30 (dependendo da época do ano) para lhe devolver à civilização.